Saiba como vão funcionar o Pix Saque e o Pix Troco

Hoje, 2 de setembro de 2021, o Banco Central anunciou como funcionarão dois novos serviços: o Pix Troco e o Pix Saque. Antes disso, a instituição tinha feito consulta com a população para verificar a viabilidade e o nível de aderência a essas novas funcionalidades.

Os novos serviços entrarão em funcionamento a partir de 29 de novembro de 2021. Como os nomes sugerem, as pessoas poderão fazer saques e receber troco em espécie por meio de pagamentos realizados através do Pix. Conheça mais sobre essa história a seguir.  

Pix Saque e Pix Troco: quais as diferenças entre eles?

Como já havia sido anunciado pelo Banco Central a criação de serviços que permitissem que estabelecimentos comerciais (como lojas de departamento, padarias, supermercados, entre outros) e caixas eletrônicos pudessem sacar dinheiro por meio do Pix, nesta semana foram anunciados os serviços Pix Saque e Pix Troco. Ambas as modalidades permitem que o usuário saque dinheiro. Conheça a seguir a diferença entre elas:

  • Pix Saque: neste caso, o cliente faz um Pix para o estabelecimento e tem a mesma quantia de volta, só que em cédulas de dinheiro. Por exemplo: se fizer um Pix de R$ 100, o usuário receberá de volta a quantia de R$ 100 em espécie, simples assim;
  • Pix Troco: a diferença em relação ao método anterior tem a ver com o valor pago na hora do Pix. Por exemplo: caso um cliente compre um produto pelo valor de R$ 50 e pague R$ 100, ele terá o direito de receber a diferença de R$ 50 de troco — o valor será pago em espécie, assim como no Pix Saque.

Podemos afirmar que, na prática, os pagamentos que já eram realizados por meio da inovação do BC continuará igual: o cliente fará a leitura do QR Code, autorizará o pagamento e, em seguida, receberá a quantia em dinheiro vivo.

Para desfrutar das novidades, o usuário deverá ser cliente de alguma instituição financeira que ofereça o serviço disponibilizado pelo BC. Em outras palavras, caso você já use o Pix no seu dia a dia para fazer pagamentos, não haverá tanta diferença assim em relação ao que você já faz.

Limite de transações do Pix Saque e Pix Troco

Recentemente, o Banco Central limitou o valor disponível para saques durante o período noturno por conta do aumento expressivo do número de fraudes por meio do Pix. Sendo assim, já era de se esperar que os novos serviços também contassem com essas medidas de segurança.

Em relação aos valores, as transações estão limitadas a R$ 500 durante o dia e R$ 100 durante a noite (período entre 20h e 6h). Apesar disso, cada estabelecimento terá autonomia para ofertar valores menores, caso achem necessário.

Cobrança taxas para os novos serviços

Em relação aos usuários comuns, como pessoas físicas e MEIs, o Saque Pix e o Troco Pix poderão ser feitos de maneira inteiramente gratuita, desde que não excedam o limite de oito saques por mês.

Já no caso dos donos de estabelecimento, será cobrada uma tarifa por transação que pode variar de R$ 0,25 a R$ 0,95. Vale lembrar que os serviços só serão oferecidos, caso os proprietários acharem que seja vantajoso para eles.

Inovação financeira e hábitos difíceis de largar

Apesar do Pix ter se tornado uma ferramenta essencial para milhões de brasileiros, as pessoas ainda sentem a necessidade de terem em suas carteiras físicas cédulas de papel. 

É evidente que a ideia do Banco Central implementada no final de 2020 facilita bastante a vida de donos de estabelecimentos e consumidores, apesar disso, as pessoas ainda não aprenderam a viver 100% do tempo sem cédulas de real para conferirem que realmente tem dinheiro.

Além disso, vale lembrar que nem todos os cidadãos contam com acesso à internet, de modo que possam fazer pagamentos de forma ágil e sem complicação. Outro fator a se considerar é o fato de que algumas pessoas de mais idade não se sentirem confortáveis com essas inovações e facilidades. Com isso, podemos dizer que o Banco Central ofereceu uma ótima alternativa a essas pessoas.