Investimentos em 2021: onde apostar e colocar o seu dinheiro

Com certeza você já está esperando que 2021 seja um ótimo ano, principalmente na área financeira, não é mesmo? Nós também queremos isso, por esse motivo vamos te ajudar a selecionar os melhores investimentos em 2021 para você melhorar a sua vida financeira.

Ao saber onde colocar o seu dinheiro, você garante a segurança das suas finanças no futuro e ainda tem lucro com os rendimentos. 

Você está pronto para aprender como investir seu dinheiro em 2021 e começar imediatamente? Desde o começo você deve ter em mente que investir não é apenas para pessoas muito ricas e para quem sabe muito de economia.

Seguindo algumas explicações básicas para investir com segurança, dá para começar a fazer aplicações pelo computador ou até mesmo no celular.

Como investir seu dinheiro com segurança

O que mais importa é que você sempre entenda e tenha domínio do que está fazendo. Por esse motivo, a primeira coisa a se fazer antes de conhecer os melhores investimentos para 2021 é entender alguns conceitos fundamentais que fazem toda a diferença na hora de começar os seus investimentos.

O mercado financeiro tem um princípio que é o tripé dos investimentos, o qual engloba os três fatores principais que devem ser considerados antes de você fazer qualquer tipo de aplicação:

Rentabilidade: é o retorno conseguido com o investimento, em outras palavras, o que você obtém por deixar seu dinheiro aplicado nele.

Liquidez: é a facilidade com que um ativo pode ser convertido em dinheiro quando necessário sem gerar perdas (em outras palavras: o quão rápido alguém consegue resgatar o dinheiro aplicado).

Risco: é a probabilidade de que o retorno de um investimento seja menor do que o aguardado ou até mesmo negativo.

Os investimentos para 2021

Em relação a este ano, alguns analistas explicaram sobre os investimentos que devem entrar na carteira dos investidores:

Tesouro direto

Quando você compra títulos do Tesouro Direto, o que você está fazendo na realidade é emprestando dinheiro para o governo.De acordo com alguns especialistas, o governo é a organização mais sólida do país, por isso os títulos são os mais seguros. O que muda sempre é a dimensão que ele vai representar dentro de uma carteira, de acordo com o perfil e com o objetivo de cada investidor.

O Tesouro Selic — título cuja rentabilidade está relacionada diretamente à taxa básica de juros — é o pilar da renda fixa de muitas carteiras. Mas há ainda os títulos prefixados, que têm o lucro acordado no momento da compra, e títulos relacionados ao desempenho da inflação.

Para quem tem medo de investir e deixa o dinheiro na poupança, os analistas sugerem os títulos públicos. Eles complementam dizendo que na poupança, o retorno só é feito no aniversário da aplicação, ao passo que com os títulos do Tesouro a rentabilidade é diária.

Fundos imobiliários

Para alguns analistas, os fundos imobiliários estão na lista dos investimentos prediletos. É um investimento em que pessoas se unem para comprar certos imóveis. O brasileiro gosta de fazer investimentos em imóveis e receber aluguéis de forma regular. Os fundos imobiliários são habituais para quem gosta de viver de renda.

Os fundos imobiliários se dividem em três tipos:

  1. Fundos de tijolo: nome atribuído aos fundos que compram imóveis, como centros logísticos, torres residenciais, shoppings, e centros comerciais;
  2. Fundos de papel: são fundos que compram títulos de dívidas relacionados ao setor imobiliário;
  3. Fundos de desenvolvimento: são os mais arriscados entre os três tipos. São fundos de imóveis em processo de edificação, então, há o risco da execução da obra.

Segundo economistas, entre os fundos imobiliários, aqueles que investem em centros logísticos são os que podem crescer mais este ano.

Ações

Quando você compra uma ação, você compra uma pequena parte de uma empresa e se torna sócio dela. Investir em ações, como qualquer outro investimento, tem os seus riscos porque tem as quedas, mas as ações devem estar presentes na carteira de todo o investidor, do iniciante ao especialista.

Com o cenário de juros baixos, ações são os alicerces fundamentais em uma carteira bem constituída. Para analisar se uma ação vale a pena ou não, alguns especialistas explicaram os três tipos de avaliações que são feitas, e que o investidor deve também fazer:

  1. Análise fundamentalista: quando você olha para a empresa, para o lucro, para a receita, para a estrutura e eficiência dela. Quando você entende o mercado onde ela atua, a cadeia de fornecedores, os clientes;
  2. Análise gráfica: análise da curva de preços das ações da empresa na Bolsa. É aqui onde a análise se a empresa tem caído ou subido muito nos pregões é feita;
  3. Análise top down: quando se observa o contexto macro, o que está acontecendo no mundo e na economia e como esse cenário favorece determinado setor e determinadas empresas.

Investimento global e moedas

Em tempos de dólar em alta, ter investimentos apoiados em dólar é uma estratégia para salvaguardar a carteira da grande oscilação da Bolsa de Valores.

Hoje é muito mais fácil comprar ações estrangeiras, seja através de BDRs ou com ações negociadas lá fora. 

BDRs são papéis que dão o direito do investidor de comprar ações de empresas estrangeiras. Eles são negociados na Bolsa de Valores e são comprados da mesma maneira como se compra uma ação. Outra estratégia para preservar a sua carteira neste ano é comprar moedas estrangeiras, especialmente o dólar.