Investidores se interessam pelo Brasil depois dos juros altos e queda do dólar

O caminho percorrido para que o dólar chegasse a patamares abaixo de R$ 5 tem ligação direta com as altas consecutivas da Selic, a taxa básica de juros da economia nacional que foi alterada de 2% para 4,25% ao ano em um período inferior a quatro meses.

Essa variação de 2,25 pontos percentuais foi o suficiente, de acordo com as análises de alguns especialistas, para que investidores de fora fixassem o os seus interesses no Brasil, fazendo assim, com que a moeda americana tivesse a sua cotação puxada para baixo, uma vez que com uma quantidade maior de dólares em circulação faz com que a moeda nacional se valorize.

A lei básica de oferta e demanda entra em ação nessas circunstâncias. Uma vez que a Selic caia muito, as pessoas tendem a tirar o seu dinheiro do país, levando para o exterior, e fazendo com que a moeda americana seja valorizada.

Investidores estrangeiros aproveitam os juros brasileiros

Além disso, a diferença nos juros praticados nacionalmente e os que são no exterior aumentaram. Com isso, os investidores estrangeiros aproveitam as movimentações do mercado para trazerem o seu dinheiro para o Brasil a fim de aproveitar esse diferencial de juros e ganhar mais dólares aqui do que ganhariam nos EUA.

Ainda pode-se afirmar que a taxa básica de juros em patamares muito baixos afastavam os investidores do país, uma vez que a Selic é o principal componente no que se refere à sinalização da taxa de retorno de outros ativos negociados na bolsa nacional.

A relação risco-Brasil compensa para o investidor estrangeiro quando a Selic se eleva um pouco, uma vez que nos EUA o retorno não compensa o risco, sendo praticamente zero, enquanto que no Brasil o investidor encontrará ofertas mais atrativas no que tange risco-retorno.

A partir do momento em que o dólar superou a marca de R$ 5, em março de 2020, a cotação da moeda seguiu uma sequência de ganhos até que atingisse uma marca bem próxima a de R$ 6 em maio do mesmo ano. Foi a partir desse momento que os juros no menor patamar histórico possível entraram em ação para tentar conter os impactos da pandemia na economia. E com isso, o dólar permaneceu “estabilizado” até que a Selic começasse a ser aumentada.

Desde que isso foi arrumado, o dólar já acumula uma queda de 9,2% em comparação com o real até o dia 1º de julho de 2021. No dia de maior valorização da moeda americana no período superior a um mês, ela voltou a passar a marca de R$ 5 e fechou o dia cotada a R$ 5,04.

Dólar deve parar de cair durante próximos meses

Alguns especialistas afirmam que existe uma razão não muito boa para que essa desvalorização do dólar ocorra ante a moeda brasileira nos últimos meses. Ela se baseia na relação entre a dívida e produção de bens e serviços da economia.

Em outras palavras, pode-se afirmar, a título de exemplo, que você está bem na foto porque a maré subiu e está a seu favor. Porém, quando ela abaixa, fica claro que a situação não é muito bem o que parece. Da mesma maneira acontece com a economia. Uma vez que a inflação cair, todos os problemas aparecerão e o valor da dívida pública em relação ao PIB ficarão patentes.

Segundo alguns economistas, o dólar não seguirá essa tendência de recuo nos próximos meses. Ele deve subir ano que vem devido ao período de campanhas eleitorais e a intensificação de algumas manobras eleitorais populistas.

Cenário favorável para investimentos com a Selic em alta

Com a Selic a 4,25% é possível aproveitar bastante para investir em ativos de renda fixa. O exemplo mais claro disso é o Tesouro Direto com as suas variedades. Optar por esse título público é uma ótima opção para aqueles que precisam se recuperar dos estragos causados à economia devido à pandemia e montar uma reserva de emergência — já que vivemos momentos muito incertos, mesmo que a vacina já esteja disponível para boa parte da população local.

Sendo assim, caso não tenha começado a poupar e investir, aproveite para fazer desse momento um aprendizado. Com a ampla divulgação na internet sobre educação financeira e mais especificamente sobre investimentos dos tipos mais variados possíveis, é possível entender o básico dos investimentos e tirar o seu dinheiro da poupança e começar a ter mais independência financeira.

Não importa se você não tem muito dinheiro agora. A disciplina é muito importante no começo, uma vez que você precisa contar com esse dinheiro como se fosse essencial — e na realidade é. Portanto, comece a ter postura de investidor e “comece pelo começo” — parece óbvio, mas muita gente se perde na parte mais simples do processo.