Inflação: preços dos alimentos atingem alta em 10 anos, diz ONU

No mundo, os preços dos alimentos atingiram o nível mais alto em mais de uma década, depois de subir mais de 30% no ano passado, diz a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Os números da entidade destacaram o aumento do custo dos cereais e óleos vegetais em todo o mundo.

Os preços dos óleos vegetais atingiram um nível recorde depois de terem subido quase 10% em outubro.

Problemas com abastecimento, altos preços das commodities, fechamento de fábricas e tensões políticas estão contribuindo para o aumento dos preços.

A FAO disse que sua medida de preços de cereais subiu mais de 22% em comparação com um ano antes.

Maior alta puxada pelo trigo

O preço do trigo foi um dos maiores contribuintes para este aumento, quase 40% nos últimos 12 meses, depois que grandes exportadores — como Canadá, Rússia e EUA — tiveram colheitas improdutivas.

“No caso dos cereais, estamos diante de uma situação em que se poderia dizer que a mudança climática é a responsável pela queda da produção”, disse Peter Batt, um especialista em agronegócios da Curtin Business School, à BBC.

“Estamos enfrentando anos [de colheitas] muito ruins em muitos lugares”.

A FAO disse que seu índice de preços de óleos vegetais foi empurrado para cima por meio dos aumentos no custo dos óleos de palma, soja, girassol e de colza.

No caso do óleo de palma, os preços foram puxados para cima depois que a produção da Malásia foi “reprimida” devido à contínua escassez de trabalhadores vindos de outros países, a organização apontou.

A escassez de mão-de-obra também está ajudando a aumentar os custos de produção e transporte de alimentos em outras partes do mundo.

Problemas logísticos

Batt disse: “O outro problema que surgiu é a forma que o produto é exportado. Por exemplo, aqui na Austrália tivemos muitos navios que chegaram para levar a comida, mas tivemos grande dificuldade em conseguir que trabalhadores entrassem no país por conta da Covid.”

Problemas com a entrega de produtos também estão aumentando os preços do leite, especialmente com os derivados dele, com os preços subindo quase 16% ao longo do último ano.

Brigit Busicchia da Universidade de Macquarie disse que a especulação nos mercados globais também está contribuindo para a volatilidade dos preços: “Desde os anos 90, a desregulamentação do comércio futuro de commodities tornou possível a entrada de investidores institucionais neste mercado em larga escala”.

Isto está gerando um impacto negativo nos países que dependem da importação de alimentos.

“É de se esperar que haja tensões no abastecimento em países como Egito e algumas nações do Oriente Médio em relação aos cereais”, disse ela.

Busicchia também destacou que o aumento dos preços dos alimentos é normalmente sentido com mais intensidade pelos pobres, pois os grupos desfavorecidos são empurrados ainda mais para a pobreza e que isso tem o potencial de aumentar as tensões sociais e políticas.