Fique por dentro do funcionamento de um cartão pré-pago

Os cartões de crédito e débito estão no mercado há um bom tempo. Bom, pelo menos eles são amplamente utilizados por diversos tipos de perfis, e por pessoas de todas as classes sociais. A popularidade deles é tão grande que talvez ofusquem um terceiro tipo de cartão: o cartão pré-pago.

Isso não tem a ver com operadora de telefonia móvel? Não! Cartões pré-pagos são uma alternativa muito útil em diversos tipos de situações. A palavra “pré-pago” não é à toa: eles seguem o molde de recarga dos celulares pré-pagos.

Afinal, o que são cartões pré-pagos? Continue a leitura deste artigo e fique por dentro do que eles são, como funcionam e quais as formas mais fáceis de recarregá-los e utilizá-los no seu dia a dia como alternativa de pagamentos.

O que é um cartão pré-pago?

Nos moldes dos cartões de crédito convencionais, os cartões pré-pago funcionam de forma análoga, apenas com uma pequena diferença: precisam ser recarregados com um determinado valor. Toda vez que uma transação é feita, parte do saldo é debitado. Quando o valor total é consumido, é necessário recarregá-lo.

Em outras palavras, pode-se dizer que o funcionamento do cartão pré-pago é parecido com o de um cartão pré-pago de operadora de celular. Dependendo do saldo que ele tiver, você poderá gastá-lo. Caso esse saldo acabe, você terá que fazer um depósito (recarga)— assim como as operadoras de telefonia móvel!

Os cartões pré-pago foram regulamentados pelo Banco Central em 2014. Nessa modalidade de pagamentos é comum que as tarifas cobradas sejam mais baixas do que a dos cartões de crédito convencionais.

Como funcionam os cartões pré-pago?

Apesar do cartão pré-pago lembrar o cartão de crédito, ele tem um funcionamento mais parecido com o cartão de débito. Isso porque, na prática, para que o usuário possa usufruir de seus benefícios, é necessário que o valor seja “debitado” do saldo total que acaba e que deve ser recarregado.

Com ele é possível fazer compras presenciais, online e pagar por serviços de assinatura (Netflix, Amazon, etc). O uso desse tipo de cartão dependerá bastante do perfil de cada usuário.

Mesmo que o cartão pré-pago pareça com um cartão de crédito, não é permitido parcelar as compras. Sendo assim, essa seria a principal diferença entre essas modalidades de pagamento.

Semelhantemente a muitos serviços financeiros da atualidade, é possível consultar o saldo e extrato das compras diretamente nos aplicativos de cada cartão. Com essas informações em mãos se torna muito mais fácil ter controle dos gastos e saber quando não tiver mais saldo disponível para fazer compras. Dessa forma será muito mais fácil não ficar sem saldo e comprar o que você precisa sem mais complicações.

Recarga do cartão pré-pago

A recarga do cartão pré-pago pode variar de acordo com a instituição financeira que você contratar o serviço, mas, em linhas gerais, existem algumas maneiras mais comuns de se fazer isso. Confira!

Débito em conta: Dependendo da instituição financeira de sua escolha, será possível fazer recargas no seu cartão pré-pago diretamente do saldo disponível em conta. Em outras palavras, o valor a ser recarregado será debitado do saldo que você tiver disponível em conta. Lembre-se de ter dinheiro suficiente para que não haja imprevistos. Além disso, verifique com a instituição se a conta deve ser obrigatoriamente da mesma instituição ou não.

Boleto bancário: Apesar de relacionarmos boleto bancário com contas a vencer, é possível utilizá-lo como forma de recarga do cartão pré-pago. A mecânica para fazer isso é bem simples: no aplicativo da sua instituição financeira você deverá gerar um boleto com o valor que você deseja recarregar o seu cartão. 

Depois disso é só seguir o protocolo padrão de pagamentos de boleto. Você pode ir a uma lotérica, aplicativo do banco ou caixa eletrônico. Antes de tudo, verifique a disponibilidade deste serviço com a sua instituição.

Saldo: Caso a opção de recarga seja o saldo de uma conta, também é possível. Isso não é a mesma coisa que débito online. Com o saldo da conta é possível descontar de forma recorrente — por exemplo, programado para que aconteça toda semana ou todo mês — e não há, necessariamente, vínculo entre conta e cartão pré-pago.

Depósito: A recarga por depósito foge um pouco o padrão das modalidades anteriores: normalmente é necessário a identificação do portador do cartão, por meio de CPF e é comumente realizado de forma pessoal no caixa. Talvez a forma mais burocrática entre as apresentadas neste artigo. Porém, vale lembrar que o operacional de cada modalidade apresentado aqui pode variar de banco para banco.

Como foram apresentados, os cartões pré-pago podem ser ótimos aliados para você que deseja ter mais praticidade em suas compras. Talvez você não precise fazer o parcelamento de uma compra — nesse caso, o cartão pré-pago seria uma ótima opção, já que eles não permitem parcelamentos.

Por outro lado, você não precisa recorrer ao seu cartão de débito para fazer aquela compra pontual. Você pode carregar o seu cartão e usufruir, com limites saudáveis, do dinheiro que possui em conta. 

Uma outra alternativa seria a de garantir que uma compra seja feita com um valor estipulado. Dessa forma, você garantirá maior controle sobre os seus gastos e não correrá o risco de se endividar desnecessariamente.