Como saber se vale a pena portar suas dívidas de uma instituição para outra?

Uma transferência de saldo de empréstimo consignado ou financiamento para outro pode ser um método eficaz para economizar dinheiro para pagar dívidas caras ou começar a organizar sua vida financeira. Digamos que você acumulou uma grande quantidade de empréstimos com grande saldo devedor e com uma alta taxa de juros anual. Portar para outra instituição financeira com uma taxa de juros muito mais baixa, significa que seu pagamento será principalmente ou totalmente para pagar o principal, em vez de a maior parte dele para os juros.

No longo prazo, isso pode potencialmente economizar uma quantia significativa de dinheiro na forma de juros que você não precisa pagar. Mas existem armadilhas que você precisa saber antes de decidir usar uma transferência de saldo.

Vantagens da transferência de dívidas

Uma transferência do saldo da dívida de um empréstimo para outro que ofereça taxas mais baixas pode ser uma maneira econômica de pagar dívidas. No entanto é importante estar atento à todas as especificidades da oferta em questão para que você esteja ciente de quaisquer taxas ou outras desvantagens do negócio.

As desvantagens podem incluir taxas de transferência de saldo, limites sobre o valor que pode ser transferido, um curto período introdutório antes que uma taxa de juros mais alta seja aplicada a qualquer saldo remanescente, dentre outras.

É sensato saldar dívidas com uma transferência de saldo?

A concorrência bancária e as recentes reduções da taxa básica de juros (SELIC) oportunizaram aos bancos oferecer crédito mais barato às pessoas/consumidores. Com isso, reduzir ou eliminar os juros da sua dívida permitirá automaticamente que você saia na frente. Dependendo da sua pontuação de crédito e seu histórico de pagamento de suas dívidas, você pode conseguir boas ofertas para portar suas dívidas.

Mas não se esqueça de fazer as contas e avaliar, cuidadosamente a oferta, afinal para saber se é sensato transferir ou portar seu saldo devedor de um empréstimo ou financiamento é necessário avaliar os custos envolvidos.

Valores de taxas de dividas

Dependendo do tipo de financiamento ou empréstimo que será portado, pode haver alguns custos envolvidos na portabilidade.

Normalmente os empréstimos pessoais com consignação em folha não possuem custo para a portabiliade. Algumas instituições, no entanto, estabelecem prazos de carência ou um determinado número mínimo de parcelas a serem pagas para que a portabilidade seja realizada.

Agora, se falarmos a respeito dos financiamentos imobiliários, a portabilidade envolverá mais custos. Ao portar de uma instituição para outra você terá que desembolsar uma quantia considerável a título de emolumentos cartoriais para alteração da hipoteca gravada sobre o seu imóvel. Além disso, podem haver outros custos e comissões a depender do agente intermediador.

Se estivemos pensando em portar dívidas de um cartão de crédito para outro, podem haver taxas envolvidas em relação ao saldo devedor e tarifas bancárias em relação à portabilidade, muitas vezes incidentes sobre o valor total da dívida.

Um exemplo de uma boa transferência de dívida

Digamos que você tenha uma dívida de R$ 3.000 em um empréstimo com uma taxa de juros de 15%. Se você pagar R$ 250 por mês, levaria 14 meses para pagar o saldo e R$ 271 de juros. 

No entanto, se você transferisse esse saldo para um outro empréstimo com taxa de juros de 0% com uma taxa de transferência de 3% enquanto fazia os mesmos pagamentos, levaria apenas 13 meses para pagar (incluindo a taxa de transferência de R$ 90), economizando R$ 181.

Por isso depende bastante da instituição e da taxa de juros que está inclusa nos contratos do banco.

Algumas considerações sobre transferências de dívidas

Em média, uma transferência de dívida leva cerca de duas semanas. Durante esse período, os pagamentos ainda precisam ser feitos para a instituição anterior que ainda detém o seu saldo antes de portá-lo. Após a realização da portabilidade, fique atento para verificar se não foram feitos pagamentos em duplicidade, principalmente se eles forem realizados por débito automático em sua conta ou no seu contracheque.

Lembre-se de que para conseguir boas taxas de juros e ofertas de bons financiamentos é importante manter uma boa pontuação junto às instituições de proteção ao crédito. Assim, evite pagar suas dívidas com atraso ou atrasar o pagamento de contas de consumo.

Conclusão

Consulte o seu banco e veja quais as melhores taxas para quitar a sua dívida e se há a possibilidade de refinanciá-las aproveitando melhores oportunidades de taxas de juros. Se você tem muitas dúvidas com relação a isso, procure um profissional da área de finanças para te auxiliar.

Se você quer mais conteúdos sobre o tema, continue acessando o nosso blog e nos deixe um comentário com suas experiências na renegociação das suas dívidas. Até mais!