Como calcular se vale a pena ter carro próprio ou usar Uber e afins?

Para a maioria das famílias, o transporte é um dos itens de custo mais altos do orçamento. Isto porque todos precisamos de uma maneira de ir e voltar do trabalho, levar os filhos na escola, ir ao supermercado, além de fazer compras e etc. Mas será que, na ponta do lápis, considerados todos os custos, despesas e investimento vale a pena mesmo ter um carro?

Todos conhecemos os diversos serviços de transporte compartilhado disponíveis em todo o Brasil e todos sabemos que eles são uma boa alternativa para você se livrar do carro próprio e continuar a se locomover utilizando-os como meio de transporte. Mas isso é realmente uma boa ideia? Quais são as implicações implícitas em abrir mão de um carro próprio, passando a ser usuário do transporte público e afins? E será que as economias advindas dessa escolha realmente vale a pena? E mais, será haverá, realmente, uma economia?

Os números exatos variam dependendo do tipo de carro que você possui (ou deseja possuir), bem como de outros custos.

Neste artigo vamos procurar analisar os custos envolvidos em ter a propriedade de um carro em comparação com os custos do uso dos serviços de transporte compartilhado.

Custo benefício

Usar o Uber é mais barato do que ter um carro? Para responder a essa pergunta será necessário, como dissemos, analisar os custos específicos envolvidos na propriedade de um carro. Calculando os astos como estacionamento, lavagem, seguro, depreciação, custos com o financiamento, IPVA, licenciamento, seguro obrigatório, seguro, combustível e manutenção chegamos ao custo anual aproximado de R$ 15 mil. Claro que isso depende do uso e perfil de cada motorista, modelo e ano do automóvel.

Já no caso do Uber (ou qualquer outro serviço por app) você só paga as corridas que fizer, lembrando que eventualmente você pode pagar preços mais altos dependendo da hora do dia ou até mesmo do clima, pois em um dia de chuva, por exemplo, a procura por aplicativos aumenta e, por isso, entra em ação o chamado preço dinâmico (lei da oferta e da procura) e as tarifas sobem, às vezes, consideravelmente. Além do mais, existem vantagens como não se preocupar com combustível, manutenção, seguro, impostos, risco de se envolver em um acidente e toda a burocracia e depreciação envolvida na propriedade de um veículo.

Ah, e também você não vai precisar passar por aquela saga de chegar no seu destino e ainda ter que achar uma vaga para estacionar, que pode se tornar a parte mais chata do passeio vez que o motorista te deixa e te pega exatamente no local combinado.

Veículo Pessoal

Para quem gosta de ter um carro próprio, um dos argumentos mais fortes é o conforto de ter o carro à sua disposição, a possibilidade de ouvir sua música favorita ou regular seu ar-condicionado como quiser. Sem falar que existe uma sensação de sonho realizado, já que para muitas pessoas comprar um carro é sonho ou objetivo desde sempre.

Você também foge do caos que é o transporte público brasileiro, que sabidamente é composto por veículos lotados, sucateados, além da insegurança, principalmente durante a noite e com a tarifa absurdamente cara.

Além disso, possuir o seu veículo particular permite o prazer de dirigir, de muitas vezes, entrar no seu carro e sari sem rumo só para passear. Há que se levar em conta também a composição da sua família, visto que, para pessoas com família grande ou com crianças pequenas, ter um carro próprio se torna quase uma necessidade já que se locomover para qualquer lugar fica muito mais prático com seu próprio carro.

Sem falar também que ao possuir um carro você pode fazer uma renda extra justamente nos serviços de aplicativos. Dependendo do ano do seu veículo você tem a opção de ingressar em serviços de aplicativos, com isso ter um carro pode ser bastante lucrativo.

Então, podemos dizer que na verdade, apps de transporte ou carro depende muito do cotidiano da pessoa, e das necessidades dela. Então é interessante fazer uma análise do seu dia a dia para ver qual opção se encaixa mais no seu perfil, usar um app ou comprar seu carro.

Muitas pessoas preferem usar serviços por aplicativo pela sua praticidade, outras preferem o carro próprio pelo seu conforto a mais.

Vale a pena estudar suas finanças para não entrar em uma fria ao comprar um carro e se endividar ou até mesmo comprar e não usar.

Por outro lado, usar serviços de transporte por aplicativos pode sair mais caro em alguns casos dependendo da frequência do uso, pois como já citado no texto, existem valores que aumentam dependendo dos dias e horários e as vezes isso acaba acontecendo sem ser percebido, mas no fim das contas altera significativamente o valor do cálculo final.

Só para reforçar a análise, eis aqui uma comparação de alguns pontos positivos de cada opção:

Ter seu próprio carro:

  • Conforto (sendo seu você, provavelmente cuidará dele de uma forma muito zelosa e poderá preservá-lo, além de poder deixar seus itens pessoais, evitando que fique carregando um monte de coisas todas as vezes que sai);
  • Disponibilidade (ele está sempre lá te esperando, sem precisar acionar ou aguardar, só pegar e sair);
  • Sonho Realizado (É inegável que: ter seu carro costuma ser visto com um grande sonho realizado ou grande conquista, além do inegável prazer de dirigir);
  • Facilidade para quem possui família grande ou faz muitos deslocamentos todos os dias;

Serviços de transporte por aplicativos:

  • Ótimo se você não é muito fã de dirigir ou não é habilitado para isso;
  • Você pode usar o telefone, fazer algum trabalho ou responder uma mensagem sem tomar uma multa enquanto está no trajeto;
  • Quase nenhum estresse com pequenos incidentes no trânsito;
  • Nada de gastar com estacionamentos ou se preocupar com o risco de furto quando estaciona na rua;
  • Não viver a saga de achar um lugar para estacionar;
  • Beber em eventos sem se preocupar com a volta para casa;
  • Possibilidade de andar em carros de diversos modelos, alguns muito mais confortáveis do que os carros populares, além de ter um motorista “quase” particular;
  • Sem preocupação com manutenções e burocracias.

E aí? O que vale mais para você? Nosso conselho, antes de decidir vender o seu carro (ou comprar um) é que você sente e coloque no papel todos os deslocamentos que você costuma fazer, anote suas despesas mensais com combustível, manutenção, seguro, impostos, além do custo da aquisição do próprio veículo.

Recomendamos taambém que você use o simulador de preço dos próprios aplicativos para verificar o custo médio dos mesmos deslocamentos nas horas e dias que você costuma fazer.

Vale lembrar que a pandemia do COVID-19 trouxe uma nova realidade para muitas pessoas. Algumas famílias que precisavam de carros para deslocar para ir ao trabalho todos os dias, enfrentando horas de trânsito viram suas realidades alteradas para o trabalho em casa, via internet (home office) e, para elas, o carro tornou-se bastante dispensável.

Então, leve tudo isso em conta e depois deixe aí nos comentários a sua conclusão e observações. Siga acompanhando o nosso blog para mais dicas e informações financeiras. Até mais!!