China pede para famílias armazenarem suprimentos básicos em caso de emergência

O governo da China tem incentivado as famílias a se abastecerem de suprimentos essenciais em caso de emergência.

Não foi dada nenhuma razão para a notificação do Ministério do Comércio, mas ela veio em meio a lockdowns contínuos de coronavírus e preocupações com o fornecimento de vegetais após plantações danificadas por chuvas excepcionalmente fortes.

O ministério também pediu às autoridades locais que mantivessem as cadeias de abastecimento funcionando sem problemas e com preços estáveis.

A mídia estatal procurou mais tarde acabar com as preocupações em meio a relatos de pessoas em pânico para comprar suprimentos.

“Assim que esta notícia saiu, todos os idosos perto de mim enlouqueceram, entrando em pânico por causa da compra do supermercado”, escreveu um usuário do site estatal chinês Weibo.

O Economic Daily, um jornal apoiado pelo Partido Comunista Chinês, pediu aos leitores que não ficassem alarmados, dizendo que o conselho do governo visava garantir que as famílias estivessem preparadas se um fechamento fosse anunciado na localidade delas.

O jornal People’s Daily disse que tais avisos não eram incomuns, mas que haviam chegado neste momento por causa de questões como o aumento dos preços dos vegetais e os recentes casos de Covid.

Preços aumentam por causa do clima

Os preços dos alimentos aumentam na China com a proximidade do inverno, mas o preço dos vegetais subiu bastante nas últimas semanas por causa do clima extremo.

Enquanto isso, o país continua a aplicar lockdowns rigorosos para combater o coronavírus. A China espera chegar a zero infecções antes de iniciar os Jogos Olímpicos de Inverno, que começam em fevereiro.

92 novos casos de coronavírus foram relatados na China na segunda-feira, e a Disneylândia de Xangai foi fechada por pelo menos dois dias após um visitante ter testado positivo para a Covid-19 depois de voltar para casa.